19 de fevereiro de 2015

Os 3 Porquinhos e o Lobo Mau*



“Era uma vez…
Assim começou uma viagem pela história dos 3 Porquinhos e do Lobo Mau.
  
Mais tarde ou mais cedo, um dia todos chegamos à fase de autonomia, e para ficarmos independentes dos nossos pais, decidimos procurar a nossa vida…
Cada um constrói a sua “casinha”, a partir dos seus desejos…
Mas na terra dos porquinhos existe alguém muito zangado, zangado e cheio de fome…O Lobo Mau!
Por certo já tivemos lobos maus nas nossas vidas… E será que já nos sentimos lobos maus na vida de alguém?
Um dia, o Lobo Mau aproximou-se da casinha feita de palha e ao ver o porquinho lá dentro, começou a gritar e… FUUUUUUU, FUUUUUUU… a soprar com tal força que o porquinho teve que fugir o mais depressa possível antes que o lobo lhe deitasse os dentes, pois tudo o que tinha construído foi abaixo. Ficou tão triste, tão triste… tinha perdido a sua vida num sopro…
Quando estamos envolvidos em tristeza a nossa clareza fica enevoada, como se estivéssemos presos sem solução.
O Lobo Mau zangado continuou a perseguição aos porquinhos e ao avistar a casinha de outro porquinho, correu desalmado e voltou a soprar … FUUUUUUU, FUUUUUUU …
De vez em quando ele volta…para nos testar.
Lá dentro os porquinhos tremiam, tremiam e estavam tão assustados… que não sabiam o que fazer, se fugiam ou se ficavam bem quietinhos. Mas… a casa não aguentou e foi pelos ares… e perante o Lobo conseguiram reagir rapidamente e fugir para não serem comidos… mas estavam com tanto medo!
O medo é necessário para a nossa sobrevivência pois permite-nos fugir ou paralisar, mas tem que ser proporcional ao fator desencadeante.
Quando temos MEDO ou MEDO ou MEDO... ou não reagimos ou passamos o tempo a fugir…
O Lobo Mau ficou tão furioso, tão furioso que quem o visse parecia que estava maior e ainda mais feio do que era… e sabendo que os porquinhos se tinham escondido na casa do porquinho que vivia feliz, voltou a atacar!!!
FUUUUUUUU, FUUUUUUU… e nada acontecia. E mais uma vez…
FUUUUUUUU, FUUUUUUU… e nada…começou a ficar mais desesperado.
Andava de um lado para o outro, as narinas fumegavam e o peito enchia-se de ar… FUUUUUUUU FUUUUUUU insistia ele…
Ele está sempre a tentar e nós podemos ceder aos nossos conflitos internos e voltamos ao velho padrão ou procuramos dentro de nós aquela força que nos regenera e conseguimos ver para lá dos nossos medos?
Como a casa não cedia e os porquinhos permaneciam em segurança, a sua ira cegou-o e… sem pensar subiu à chaminé…

Quando a ira ocupa o coração, deixa de haver razão…lucidez!
Claro está que o Lobo Mau acabou por cair no caldeirão e queimar sabe-se lá o quê…
E os porquinhos viram-se livres do Lobo Mau e ficaram tão felizes que pulavam e saltavam de alegria…
Nestes momentos de conquista somos inundados de um prazer inexplicável e o corpo ganha energia, somos revitalizados!!!
Vitória, vitória! Acabou-se a história!
Colorin, Colorado! Este cuento se ha acabado!
 
Cristina Santos, Patrícia Querido e Ana Ferreira
1º Encontro Ibérico da Biossíntese
Carcavelos, 13 de Dezembro 2014

Saibam mais sobre o projecto BioCare Síntese aqui.
*Trabalho apresentado no 1º Encontro Institucional Ibérico do CPSB
Imagens: google
Fotografia de Maria Bartolomeu