18 de abril de 2013

A arte de escrever e a criatividade – A Escrita Criativa


escrita
s. f.
1. Arte de escrever.
2. Coisa que se escreveu.
3. Lição de escrever.
4. Forma de letra; caligrafia.

criativo
(criar + -tivo)
adj.
1. Que é capaz de criar, de inventar, de imaginar qualquer coisa de novo, de original, que manifesta criatividade (ex.: espírito criativo).
2. Que favorece a criação (ex.: meio criativo).

Escrever começa por ser das primeiras grandes aprendizagens quando entramos na escola, a par da leitura. Por motivos óbvios, poderá ser um factor de stress para a criança e que se poderá prolongar e fazer sentir na vida do adulto. Caso seja algo agradável, é um método de expressão que assume novas formas no mundo das novas tenologias, através de redes sociais, blogues, entre outros.

Escrever é uma forma de comunicação que possivelmente já teve mais importância num mundo onde as imagens governam. Saber escrever tornou-se essencial para sentir a integração numa sociedade composta por muitos sinais e palavras dispersas.

Quando se fala em criatividade somos muitas vezes levados a pensar que, ou a temos, ou não a temos. É um facto que todos temos o lado direito do cérebro, aquele que rege o lado criativo da vida. A questão passará pela sua maior ou menor estimulação.

Desta forma, a parte inicial dos exercícios de escrita criativa passa pela estimulação da nossa imaginação através de inúmeras ferramentas e possibilidades. A criatividade é estimulada antes de se iniciar o processo de escrita. Através de desenhos, jogos e outros exercícios, a criatividade aumenta potenciando a capacidade de escrita.

Não é nosso intuito entrar em explicações científicas sobre o funcionamento do cérebro, no entanto, é importante referir que a criatividade é considerada uma capacidade ou competência humana de grande valor e que estará relacionada com o impulso de sobrevivência e de evolução do homem.

No dicionário de Psicologia, a criatividade é vista como uma “aptidão complexa, distinta da inteligência e do funcionamento cognitivo e que seria função da fluidez das ideias, do raciocínio indutivo, de algumas qualidades perceptivas e da personalidade, bem como da inteligência divergente na medida em que ela favorece a diversidade de soluções e de produtos. O processo criativo é favorecido por uma atitude positiva face às novas ideias e ao inesperado, e pelo facto de dispersar a sua atenção, mais do que concentrá-la sobre o problema colocado.” (Dicionário de Psicologia, 194). A criatividade surge como um recurso a ser explorado na Biossíntese, não só pela sua elasticidade e poder de adaptação mas também por ir de encontro à ideia holística que todos temos presente sobre a nossa Psicoterapia.

Se pesquisarmos na internet por “escrita criativa”, surgem uma série de páginas direcionando, principalmente, para cursos de escrita criativa. Pressupõe-se a aprendizagem de uma série de dicas, ferramentas e exercícios para estimular a criatividade, expressa em papel. Fomenta-se a escrita à mão e pretende-se estimular o tal lado direito do cérebro, onde mora a criatividade.

Texto de Ana Caeiro

Bibliografia
• AA (2001); “Dicionário de Psicologia”; Climepsi Editores; 1ª Edição; Lisboa.
Imagem: http://s665.photobucket.com/user/cangrerana/media/Letras.jpg.html

2 de abril de 2013

Ansiedade





A ansiedade afecta cerca de 250 milhões de pessoas no mundo, isto de acordo com a Organização Mundial de Saúde, e este número está a crescer exponencialmente. Embora não afecte grupos étnicos específicos ou determinadas condições económicas, as mulheres sofrem mais de ansiedade do que os homens, de acordo com estas estatísticas.


A ansiedade faz parte da condição humana e todos nós a experienciamos durante a nossa vida. Uma ansiedade saudável existe quando nos sentimos ansiosos perante uma situação de desafio, medo, perigo ou dificuldade. Esta ansiedade saudável irá funcionar de forma a dar uma ajuda ao melhorar a nossa acção e também ao alertar para a tensão corporal. Torna-nos presentes, focados e pode ser uma experiência positiva e útil.

No entanto, a ansiedade pode não ser saudável, transformando-se em doença. Apesar de ser uma emoção que é gerada pela antecipação de um perigo vago, de difícil previsão e controlo, a ansiedade faz-se acompanhar por modificações fisiológicas e hormonais características dos estados de activação elevada. De acordo com o Dicionário de Psicologia, as "perturbações ansiosas incluem as fobias, as crises de angústia ou ataques de pânico, a ansiedade generalizada, manifestações obsessivas e compulsivas e a ansiedade pós-traumática."

Quando a ansiedade cresce de forma a afectar o funcionamento de um indivíduo, é fundamental a procura de ajuda. De acordo com Alexander Lowen, os sintomas da ansiedade podem ser visíveis a nível mental mas também a nível físico. A nível mental podemos referir sintomas como a falta de sono ou a dificuldade em relaxar. Mas o corpo também emite sinais claros, tais como a tensão nos músculos, tremores, tonturas, entre outros. Assim, a ansiedade é um tema corpo-mente que deve ser tratado com uma abordagem cognitiva (mente) e também somática (corpo).

Foto: http://www.fotoseimagens.etc.br/n/foto-imagem-onda/
Referências:
  • Doron, Roland; Parot, Françoise (2001); Dicionário de Psicologia, Climepsi Editores, Lisboa
  • Boyd, Richard (2010); Anxiety, Energetics Institute, West Australia