2 de abril de 2013

Ansiedade





A ansiedade afecta cerca de 250 milhões de pessoas no mundo, isto de acordo com a Organização Mundial de Saúde, e este número está a crescer exponencialmente. Embora não afecte grupos étnicos específicos ou determinadas condições económicas, as mulheres sofrem mais de ansiedade do que os homens, de acordo com estas estatísticas.


A ansiedade faz parte da condição humana e todos nós a experienciamos durante a nossa vida. Uma ansiedade saudável existe quando nos sentimos ansiosos perante uma situação de desafio, medo, perigo ou dificuldade. Esta ansiedade saudável irá funcionar de forma a dar uma ajuda ao melhorar a nossa acção e também ao alertar para a tensão corporal. Torna-nos presentes, focados e pode ser uma experiência positiva e útil.

No entanto, a ansiedade pode não ser saudável, transformando-se em doença. Apesar de ser uma emoção que é gerada pela antecipação de um perigo vago, de difícil previsão e controlo, a ansiedade faz-se acompanhar por modificações fisiológicas e hormonais características dos estados de activação elevada. De acordo com o Dicionário de Psicologia, as "perturbações ansiosas incluem as fobias, as crises de angústia ou ataques de pânico, a ansiedade generalizada, manifestações obsessivas e compulsivas e a ansiedade pós-traumática."

Quando a ansiedade cresce de forma a afectar o funcionamento de um indivíduo, é fundamental a procura de ajuda. De acordo com Alexander Lowen, os sintomas da ansiedade podem ser visíveis a nível mental mas também a nível físico. A nível mental podemos referir sintomas como a falta de sono ou a dificuldade em relaxar. Mas o corpo também emite sinais claros, tais como a tensão nos músculos, tremores, tonturas, entre outros. Assim, a ansiedade é um tema corpo-mente que deve ser tratado com uma abordagem cognitiva (mente) e também somática (corpo).

Foto: http://www.fotoseimagens.etc.br/n/foto-imagem-onda/
Referências:
  • Doron, Roland; Parot, Françoise (2001); Dicionário de Psicologia, Climepsi Editores, Lisboa
  • Boyd, Richard (2010); Anxiety, Energetics Institute, West Australia