17 de janeiro de 2013

Tipos de consciência

Há pouco tempo falaram-me em 3 tipos de consciência: a contraída, a expandida e a pura. Como nada é por acaso, encontrei isto:

There are four levels of consciousness. Most people never make it out of level one and are condemned to suffer in this self-imposed hell of an inner world. Here are the four levels of consciousness:

1. Unconscious Unconsciousness

At this stage you are not even aware that you are unconscious. You attract negative things into your life at a rapid pace, as if you have developed a negative ball of energy rolling down hill. Nothing is ever your fault and you are always looking for someone to blame.

2. Conscious Unconsciousness

Here you are aware of your negative thinking and the consequences that it might bring. You might see your negative pattern and have become aware of what it is that you are attracting. You may not like what you are attracting, but you have taken responsibility for it.

3. Conscious Consciousness

You deliberately decide to focus pure and positive thought on something and remove all resistance to its arrival. And, sure enough, it arrives. Your creation might be something as simple as visualizing a parking space opening up for you at the mall. You deliberately intended it, allowed it to come to you and acknowledged it when it arrives.
4. Unconscious Consciousness

When you get to this point, you do not have to work so hard to create things in your life. You are a believer in how the mind game is played and you spend conscious time each day making your mind important. New creations come to you easily and quickly. You have built a positive ball of energy that continues to roll forward in your favor. People call you the "lucky one".

Fonte: http://www.facebook.com/KnowledgeOfToday?ref=stream

Embora os conceitos sejam diferentes e as divisões também, as semelhanças são enormes. Vou tentar relembrar-me do que me foi dito, com a ressalva de que não será tão completo como me foi dito...

1. Consciência contraída: Esta é em tudo igual à "unconscious unconsciousness" (inconsciência inconsciente). Aqui não temos noção de como estamos inconscientes na nossa vida. Atraímos muitas coisas negativas e achamos que a responsabilidade de tudo o que acontece de errado na nossa vida é dos outros, do ambiente à nossa volta, mas nunca é nossa. A desresponsabilização sobre a nossa vida e destino é imensa e a culpa é sempre dos outros. Nesta fase aguardamos que alguém surja na nossa vida com uma varinha mágica que faça desaparecer os nossos problemas, ou seja, achamos que não somos donos e muito menos responsáveis pelo nosso futuro, assim como consideramos ser incapazes de mudar alguma coisa. Viver no aqui e agora parece impossível e permanecemos presos nos traumas do passado e nas expectativas sobre o futuro.

2. Consciência expandida: Aqui podemos incluir o que é descrito na parte referente a "Conscious Unconsciousness", e parte do terceiro ponto, "Conscious Consciousness". Nasce uma nova e maior percepção sobre nós próprios assim como cresce uma maior responsabilização sobre a nossa vida. Ficamos muito gratos com o que nos acontece de bom, e ficamos surpreendidos com as sincronias. A nossa intuição melhora, mas ainda nos surpreendemos com as nossas "novas" capacidades. A lei de atracção do Universo começa a fazer mais sentido e sentimo-nos mais atentos ao que se passa à nossa volta. Estar no aqui e agora não é difícil e é cada vez mais um ponto assente, mas permanece a viagem temporal na nossa mente.

3. Consciência pura: Na consciência pura existe o contacto directo com a essência. Somos agradecidos por tudo o que nos acontece, seja bom ou mau. Comparando com os exemplos em cima, a consciência pura enquadra-se no ponto quatro, "Unconscious Consciousness". A intuição e sincronicidade não nos surpreendem e a vida é encarada com gratidão, prevalecendo sempre um sorriso. Vivemos no aqui e no agora sem qualquer dificuldade. O passado ficou para trás, resolvido e vivido e o futuro não é uma preocupação. Vive-se sem medos e com uma serenidade activa.

Como eu costumo dizer, não somos "Buda", portanto, o normal é que estejamos a navegar entre consciências ou até que estejamos em diferentes consciências consoante as diversas áreas da nossa vida. Se nos sentimos bem a nível relacional, podemos estar numa consciência mais expandida, enquanto que, se estivermos num momento complicado com a família, o mesmo poderá estar numa consciência mais contraída.

Penso que de facto navegamos entre estas três consciências, é algo que me faz sentido. E que, com a evolução pessoal, seja possível passar mais tempo na consciência expandida e na consciência pura. Caberá a cada um perceber o que lhe soa melhor. No entanto, sejam divididas em 3 ou 4 tipos, as diferentes consciências fazem sentido quando consideramos a direcção da evolução pessoal e do auto-conhecimento.

Texto escrito por Ana Caeiro