27 de agosto de 2012

Deixem-me sonhar a brincar


Hoje pela manhã, espreitei o céu e pairavam no ar, livremente, uns pássaros. Deitado em cima da minha cama estava o Tomás de 8 anos, e eu para não perder uma oportunidade de o ensinar, perguntei-lhe: sabes como se chamam aqueles pássaros? E ele espreitou e ainda ensonado, disse: - são pretos e têm um biquinho laranja? … são melros! 

Pois são, disse eu!

E eu voltei a perguntar: e se fossem todos pretos? Como se chamavam?

E este diálogo poderia continuar sem parar, mas o Tomás já não me respondeu… quando olhei… já tinha saltado da cama e estava a brincar com uns bonecos que ganham vida nas suas mãos… no seu mundo de fantasia, onde todos os pássaros, independentemente, do seu nome, têm lugar…

Ser criança é viver entre a fantasia e a realidade, onde os dois mundos são a integração do seu ser, do seu pensar, da sua história… onde elabora o que se passa nas suas vivências e nos seus desejos.

Um dia, um pai perguntou-me, falando da sua filha de 6 anos: - acha normal, ela querer ser princesa, neste mundo tão competitivo? Ela tem que desejar ser médica ou…

Para que as crianças possam crescer saudáveis e um dia serem adultos equilibrados, é fundamental brincarem e incorporarem as suas fantasias, para que aos poucos se possam ir adequando ao mundo.

Brincar é primordial e é o alicerce, até que aos poucos a fantasia vai dando lugar à realidade, aos sonhos e aos objectivos que queremos alcançar. 

Ficam algumas ideias para brincarem com as crianças à vossa volta. 


Actividades ao ar livre:
·         Andar de bicicleta
·         Trotineta
·         Patins
·         Jogar à bola
·         Fazer corridas
·         Lançar papagaios de papel…

Fazerem um bolo juntos, no qual possa partir os ovos, barrar a forma, ler quais os ingredientes necessários, preparar o cenário para se sentirem uns verdadeiros pasteleiros.
  
Fazerem jogos que sejam do vosso agrado. (Mikado, Monopoly, cartas, Uno, Galo, Forca, Batalha Naval e outros).

Se preferirem, passem algum tempo a fazerem trabalhos manuais: pintura em madeira, pirogravura, picotagem, dobragens em papel, esmirna e outras.
 
Quando um adulto brinca está a cuidar da sua criança interior… Observe-se e sinta-se… Olhe para a alegria que as crianças mostram quando brincam!!!

“Tenho em mim todos os sonhos do mundo” disse Fernando Pessoa

Cristina Santos, Psicologa e Psicoterapeuta

Imagem: http://chefcarolinacosta.blogspot.pt/2011/01/palitinhos-apimentados-das-minhas.html

22 de agosto de 2012

Trabalhar e estar desempregado



A Biossíntese olha para o ser humano de uma forma holística e a importância do trabalho ou a falta dele é uma parte fundamental que tem de ser tomada em consideração.


Para o ser humano, o trabalho é uma parte muito importante da vida. Apesar de normalmente pensarmos em momentos de lazer ou desejar estar de férias, a verdade é que o trabalho é um eixo fundamental da nossa vida. Se formos impedidos de trabalhar, seja por que motivo for, o mais provável é que entremos em depressão.

Nos dias de hoje, em que a crise é referida muitas vezes na comunicação social, os números do desemprego mostram precisamente isso: apenas números. Estes números escondem diversas e difíceis realidades. De facto, se o estar desempregado pode levar a uma situação depressiva, o desemprego de longa duração não só aumenta o risco de depressão como também dificulta a integração na vida activa. Numa situação de desemprego de longa duração surge um sentimento de desespero que pode dificultar ainda mais a procura de trabalho e que pode por em risco uma boa performance quando surge uma nova oportunidade.

O desemprego também pode inferir na deterioração da saúde e também da vida social. A saúde e a vida social, influenciados pela perda de capacidade económica, são drasticamente alteradas numa situação de desemprego. A par destes, também a autoconfiança e a auto-estima são severamente afectadas e são colocadas inúmeras questões problemáticas para as quais o desempregado não tem resposta.

Refira-se que vários estudos comprovam que é importante manter uma vida ocupada, principalmente numa situação de voluntariado em que a pessoa se sente útil para além de permanecer ocupada.

Não podemos deixar de salientar, no entanto, que trabalhar pode também ser um factor problemático para muitas pessoas activas. Quando uma pessoa não trabalha em algo que a preenche, que é a sua área ou que gosta de fazer, gera-se uma situação de desgaste, na qual é necessário gastar mais energia do que numa actividade prazerosa. A falta de valorização e reconhecimento no trabalho são também situações complicadas com as quais o trabalhador activo tem de lidar, assim como todo o receio constante de perder o emprego num mundo moderno caracterizado pela competitividade e especialmente neste momento de crise económica.

Numa situação de necessidade de acompanhamento terapêutico já existem várias possibilidades na óptica de uma situação financeira de dificuldade. O Centro de Psicoterapia Somática em Biossíntese tem a funcionar uma clínica social que permite não só formar os alunos estagiários como também ajudar no acompanhamento terapêutico com consultas a baixo custo. Contacte-nos!


Elaborado com base num texto do livro “Understanding Psycology”, de Nicky Hayes (Londres, 2010)

Imagem: http://lisipsico.blogspot.pt/2010/08/trabalhar-em-equipe-da-trabalho.html