31 de outubro de 2012

Workshop Extraordinário - “O Corpo do Terapeuta como Instrumento de Ressonância e leitura das sensações na relação terapêutica” - 1ª Parte

No passado dia 18 de Outubro decorreu no CPSB, um workshop extraordinário, facultado pelo Dr. Gil Arad, professor sénior no Centro de Biossíntese de Israel. O tema deste workshop foi “O Corpo do Terapeuta como Instrumento de Ressonância e leitura das sensações na relação terapêutica.”



O Professor começou o encontro expressando aquilo que podemos encontrar na Biossíntese: uma relação terapêutica profunda. O terapeuta como âncora consegue estar com o cliente sem se deixar inundar, mas também sem se colocar de fora. Desta forma, não nos perdemos como terapeutas mas também não mergulhamos no lado sombrio do paciente. Esticamos a mão e ajudamos o cliente a sair, ao seu ritmo.

Propondo uma viagem pelo sentir, numa viagem não-verbal, pretende-se que o corpo seja um caminho, uma ferramenta. Um exemplo simples poderá ser quando vemos que o cliente se ausenta mentalmente no consultório. Porque não perguntar o que se passou? Onde é que o cliente terá ido naquele momento? Pode até ter sido algo casual, como tratar da roupa, mas pode também ser uma chave para algo mais, pode ser um fio mais solto.

Aquilo que se pretende, tanto no workshop como no consultório, é que se estabeleça um espaço aberto para tudo aquilo que vier, para que se estabeleça um diálogo. Assim, na clínica podem acontecer verdadeiros momentos de magia.

Em relação à cura, o Dr. Gil Arad referiu que a mesma será parte de um processo espontâneo que nós não podemos forçar. Aquilo que podemos fazer é criar as situações ideais para que a cura ocorra, e esta poderá ou não ocorrer. A presença do terapeuta e a sua intenção é um elemento que poderá ajudar e influenciar o processo de cura.

Imagem: http://ilearnmylesson.blogspot.pt/2011/08/o-vento.html