11 de julho de 2012

Centring

“O trabalho terapêutico denominado Centring (centrar) baseia-se no restabelecimento do ritmo do fluxo de energia metabólica e do equilíbrio entre as duas metades do sistema nervoso vegetativo. Na prática, isto significa uma ajuda na recuperação do equilíbrio emocional e da respiração harmoniosa” (Boadella; 1992: 24)


Esta forma de terapia da Biossíntese está relacionada com a camada endodérmica. Esta camada desenvolve-se no primeiro trimestre da gravidez e é a camada interna do corpo do feto. É neste momento que será produzido o revestimento do tubo intestinal, todos os órgãos digestivos e também os tecidos dos pulmões.

Na nossa infância, numa situação fracturante associada às emoções, e num impulso de vida que nos permite sobreviver, dá-se um encouraçamento visceral. Este encouraçamento, quando deixa de resultar como defesa e nos causa transtorno, pode ter como terapêutica o centramento emocional e o reequilíbrio da respiração.

Neste processo, pretende-se ajudar a pessoa a entrar em contacto com o ritmo da sua respiração e com a dinâmica emocional que lhe está associada e também com o que há de mais primitivo em nós. No Centring, vemos como o reservatório de energia do cliente está acumulado nos órgãos internos do corpo, onde se situa o reservatório dos sentimentos e ao qual nos referimos comumente como vísceras.

Centrar está então relacionado com todo o quente associado às emoções e também à sensibilidade. O cliente que precisa de Centring, precisa de aprender a incluir as suas emoções, e isto é mais do que a simples aceitação, é também sentir com o corpo.

Elaborado com base no texto “O que é a Biossíntese” e “Correntes da Vida”, de David Boadella