21 de junho de 2012

O que é o vínculo?

O bebé recém-nascido chegou à terra e é segurado pelos seus pais. As complexas relações sociais de seu mundo particular estão por toda a parte, mas ele ainda não tem consciência delas. Despido de cultura, ele aguarda o processo de condicionamento que levará à formação de carácter. (Boadella, 1992)



Não podemos iniciar a temática da vinculação sem falar do relacionamento primordial do homem: o vínculo entre a mãe e o seu bebé. De acordo com J. Bowlby, a vinculação seria a “forma primária do laço social, exprimindo-se como uma necessidade inata de manter a proximidade com o parceiro materno, e relativamente independente da procura de satisfação alimentar.” (in Dicionário de Psicologia).

A qualidade do vínculo que é estabelecido entre a mãe e o bebé irá influenciar directamente o ajustamento da pessoa na idade adulta (Gleitman, 2011).

Refira-se que na biossíntese o vínculo é estudado no Bonding. O símbolo central deste tema é o coração, aquele que está no meio do corpo e que é visto como um sistema energético que nos permite o contacto com o parceiro, que nos serve de guia para que possamos gerir a nossa maior abertura ou fechamento e também como ponte para o relacionamento que tenho comigo.

Se pegarmos num dicionário, a palavra que mais define vínculo é laço. E é a partir da capacidade de criar laços com os outros que vamos explorar o vínculo ou a capacidade que cada carácter tem de se vincular.

Referências

• AA (2001); “Dicionário de Psicologia”; Climepsi Editores; 1ª Edição; Lisboa.

• BOADELLA, David; (1992); “Correntes da Vida”; Summus Editorial; 3ª Edição; São Paulo.


• GLEITMAN, H.; FRIDLUND, A. J.; REISBERG, D. (2011) “Psicologia”; Edição Fundação Calouste Gulbenkian; 9ª Edição; Lisboa.

Imagem: http://www.unire.com.br/blog/?cat=21