30 de agosto de 2010

Medo do Compromisso

São muitas as formas em que aparece o tema do medo do compromisso entre o casal.

Uma queixa bastante difundida é a queixa das mulheres solteiras ou separadas acusando os homens da sua falta de compromisso. Daria a impressão de que os homens não são tão apressados como as mulheres em comprometer-se. Esta constatação geral não significa que as coisas não possam ser exactamente ao contrário. Mas o outro, percebendo de certa forma a armadilha ou a dificuldade, distancia-se.

O medo do compromisso tem como base o temor à entrega, o medo do amor e suas implicações. É muito difícil entregar-se verdadeiramente. Pode haver um casal, pode haver um casamento de anos e mesmo assim pode não haver entrega.

Quando nos entregamos estamos em carne viva, sentimos intensamente e aproximamo-nos do mais apreciado tesouro: ser queridos incondicionalmente.

Quando o amor se dá na sua plenitude e sentimos que todos os nossos aspectos são incondicionalmente aceites, entramos num estado de paz que nos ajuda a aceitar todas as nossas partes e podemos experimentar a sensação de finalmente no sentirmos completos. Mas não existem mapas para a aventura do amor, não sabemos por onde irá, não podemos prendê-lo ou controlá-lo, não podemos garantir que o outro estará lá para sempre. O outro é o outro e corremos o risco de ser feridos.

Chegar ao bem-estar da intensa conexão que vem da verdadeira entrega, abre a possibilidade de perda desse bem-estar, aparecendo assim o medo. Esse temor é representado em dois medos básicos que aparecem nas relações íntimas: o medo do abandono e o medo da invasão. Há temores que trazemos desde as nossas primeiras relações significativas e que a vida em casal aviva.

Quando éramos crianças, apareceram as nossas primeiras frustrações, é assim que sofremos as primeiras sensações de não ser amados da forma que nós precisamos, ou não nos sentirmos suficientemente valorizados. Da mesma forma, de acordo com o comportamento dos nossos pais, podemos ter sofrido o temor de ser invadidos emocionalmente. Em qualquer caso, procuramos recursos para nos defendermos. Assim criamos uma "personalidade".

A personalidade pode ser vista como uma tentativa de nos defendermos da dor do abandono ou do medo da invasão. É uma construção que cria estratégias para ser amados ou para não ser invadidos, conforme seja o caso. Mas essa personalidade é uma couraça, um escudo defensivo que nos afasta do que sentimos, das nossas necessidades, enfim, do nosso ser.

A personalidade é frágil, tem medo da entrega e, se nos ajuda a funcionar em certas circunstâncias, nos relacionamentos íntimos, pode tornar-se num travão que nos impede de contacto verdadeiro com o outro, quando, sem percebermos, cria comportamentos que nos impedem a entrega já que "se eu não me der não estarei sujeito a qualquer perda ou invasão." A personalidade "defende-nos" dessa possibilidade com uma estrutura estável e previsível. De certa forma, parece ser uma vantagem ter uma “personalidade estável”, mas essa força e segurança vai-se transformado em rigidez e medo de ser desestabilizado.

E o amor destabiliza-nos, o amor dá medo, porque não ouve os nossos argumentos racionais, segue o seu próprio caminho, não podemos controlar, "perdemos a cabeça." Podemos escutar o amor, podemos segui-lo, mas não podemos controlá-lo. Quando nos abrimos a ele fazemo-lo à possibilidade de perdê-lo. É assim que o compromisso, a entrega ao amor, nos confronta com a nossa vulnerabilidade.

20 de agosto de 2010

Biossíntese continua a crescer


Durante os anos 80, chegou a mais de 20 países. O conhecimento da Biossíntese, como forma multidimensional e muito completa de auto-regulação e integração de vida, continua a crescer e a chegar cada vez mais longe e a mais gente, estando hoje em mais de 30 países.

Também o Centro de Psicoterapia Somatica em Biossíntese (CPSB), filiado do International Institute for Biosynthesis (Suiça) - IIBS, EABS Y IFB, está em expansão. A filial no País Basco, Espanha, abriu o primeiro Master em 2008 na lindíssima cidade de Vitória, dando agora continuidade à segunda formação, já em Outubro próximo, na não menos marcante cidade costeira de San Sebastián.

Para os alunos, é possível o intercâmbio entre os dois centros sem custos adicionais. Uma iniciativa do CPSB para um maior enriquecimento do nosso trabalho e dos nossos futuros Psicoterapeutas. Este intercâmbio deu-se por várias vezes e foi não só um sucesso, como uma experiência inesquecível, quer pelo acolhimento, quer pela vivência e pela aprendizagem de ambos os lados.

Vários workshops*, palestras e seminários nas diferentes ordens de psicólogos, na Universidade de San Sebastián e centros Terapêuticos e de formação afim, vão divulgar esta Escola de Psicoterapia Somática, que visa transmitir conhecimento e experiência e dar uma base sólida para actuais e futuros profissionais das áreas psicoterapêuticas e de Sáude.

Informe-se!

Portugal: Av. 5 de Outubro nº 122 - 5º Esq - 1050-061 Lisboa - Tel.: 00351 21793 5326 - www.cpbiosynthesis.com


Espanha: Donostia-San Sebastián: Instituto de Psicología Integral Baraka c/ San Juan 14 Bajo. Email: biosíntesis@barakaintegral.org Tel: 652 76 24 19 Josune http://www.schoolbiosynthesis.eu/

*Workshops de apresentação teórico-vivenciais, em Espanha:
- 25-26 de Setenbro 2010, no Instituto de Psicologia Integral BARAKA.
-16-17 de Outubro 2010, no Instituto de Psicología Integral BARAKA.
-13-14 de Novembro 2010, no Instituto de Psicología Integral BARAKA.

11 de agosto de 2010

Quero

Photo by Danilety blogger
Quero que me oiças sem me julgares.
Quero que opines, sem me aconselhares.
Quero que confies em mim, sem exigires de mim
Quero que me ajudes, sem tentares decidir por mim
Quero que me cuides, sem anular-me
Quero que me olhes, sem projectares as tuas coisas em mim.
Quero que me abraces, sem me sufocar.
Quero que me encorajes, sem me empurrar
Quero que me apoies, sem tomar conta de mim.
Quero que me protejas, sem mentiras.
Quero que te aproximes, sem invadir-me.
Quero que conheças as minhas coisas de que menos gostas,
que as aceites e não as pretendas mudar.
Quero que saibas, que hoje,
pelo menos hoje, podes contar comigo.
Sem condições.
(Jorge Bucay)

Jorge Bucay é argentino, terapeuta gestáltico e escritor, residente em Espanha. Auto de muitos livros, dá conferências em todo o mundo, palestras em Universidades, entrevistas vistas por milhares de pessoas e publica ainda artigos conceituados.
Nesta entrevista, em “Ratones Coloraos”, sobre o tema relacional e o casal, Bucay fala-nos de como é o amor sem condições e dá-nos algumas pistas sobre a felicidade e a vida. Uma forma de ver que tem muito a ver com a Biossíntese.

Vídeos:
http://www.youtube.com/watch?v=OCF0m9BCixk&feature=player_embedded
http://www.youtube.com/watch?v=dZJiJt5VAP8&feature=player_embedded



Algumas frases da entrevista:
Já não ouvimos o que o outro diz, só julgamos.
O meu pai sempre perguntava: “Para que me pedes conselhos se depois fazes o que queres?”E eu respondia “Peço conselhos para saber o que quero".
Confiança é uma entrega, que não tem a ver com exigência. A confiança é um dos 3 pilares principais que, se não existe, não existe casal.
Cuidar o outro não é não o deixar fazer, é permitir que ele explore, como a mãe que deixa a criança brincar e trepar às árvores, mesmo sabendo que pode cair.
Sem me empurrar: no momento em que eu queria, em que eu posso, da forma que eu decido.
Que loucura é esta das mentiras piedosas, são mentiras! A única piedade é a do mentiroso que não tem coragem de dizer a verdade.
O tema dos limites é muito importante, nós acreditamos que se nos amamos não tenho de colocar limites e não há espaços privados. Isso é um erro. Há espaços que são só meus, em que para entrar tem de se pedir permissão

6 de agosto de 2010

Entrevista com David Boadella

http://www.biosynthesis.org/html/e_interview.html

David Boadella é o fundador da Biossíntese, método psicoterapêutico somático desenvolvido a partir da década de 70, cada vez mais conhecido e reconhecido. Passou mais de 40 anos na prática psicoterapêutica, realiza palestras em todo o mundo e é autor de numerosos livros e artigos, sendo detentor de uma vasta obra bibliográfica.

Mas como surgiu a Biossíntese? Para o explicar temos de remeter para o percurso deste homem notável.

David Boadella nasceu em 1931, em Inglaterra. Vive hoje na Suíça, em Zurique, onde, juntamente com Sylvia Boadella, dirige o Centre For Biosynthesis International.

Estudou educação, psicologia e literatura. Frequentou as Universidades de Londres e Nottingham, e dedicou-se inicialmente ao estudo dos distúrbios emocionais em crianças. A sua formação passou ainda pelo contacto com Paul Ritter em Nottingham entre 1952 e 1957 e posteriormente obteve graduação em Vegetoterapia analítica com Ola Raknes, principal terapeuta reichiano na Noruega.

A partir de 1963 e durante cerca de vinte anos, foi director do Abbotsbury Primary School onde o seu método de trabalho com as crianças começou a mostrar resultados evidentes e muito positivos.

No fim dos anos sessenta, teve contacto com duas importantes linhas terapêuticas pós-reichianas, fundadas por discípulos de Reich: a Psicologia Biodinâmica de Gerda Boyesen e a Bioenergética de Alexander Lowen. Boadella participou no trabalho de ambos, publicando artigos e formando terapeutas nessas duas escolas.

Stanley Keleman, foi outra das suas fortes influências. Com Keleman descobriu e aprofundou a importância da Embriologia e da vida intra-uterina na formação do indivíduo. Esse contacto contribuiu para a sua aprendizagem acerca das qualidades expressivas da pessoa e para uma compreensão da Anatomia Emocional. O seu livro "Correntes da Vida" é dedicado a ele.

Já em 1970 fundou a revista actualmente intitulada "Energy and Character - The Journal of Biosynthesis".

Juntando toda a riqueza formativa que tinha adquirido, complementando conhecimento e aperfeiçoamento, desenvolveu então a formação do corpo teórico da Biossíntese, procurando integrar três diferentes tradições que ele reconhece a partir de Freud posteriormente desenvolvidas por:
1) Reich, Lowen e Boyesen focando o fluxo da energia libidinal,
2) Rank até Francis Mott que foca a experiência pré-natal
3) Melanie Klein, pelos terapeutas da Escola da Relação Objectal e pelo trabalho de Frank Lake com terapia regressiva usando respiração profunda.

David Boadella apresentou pela primeira vez a integração dessas abordagens integradas numa conferência intitulada "Stress and Character-Structure - a synthesis of concepts" no The Tavistock Institute of Human Relations, em Londres, em 1974... (continua, clique em ler mais)